Palestras e Seminários
25/04/2018
13:00
auditório Luiz Antonio Favaro (sala 4-111)
Palestrante: Regilene Delazari dos Santos Oliveira
Colóquios de Matemática para a Graduação

Na história da humanidade, muitas epidemias atingiram a população de uma região ou do mundo, por exemplo, a varíola, lepra, malária, febre amarela, gripe H1N1, aids, entre outras. Hoje muito se sabe sobre a dinâmica das epidemias e as melhores formas de combatê-las. Por exemplo, é muito mais eficiente combater algumas doenças por meio da prevenção (medida profiláticas) do que após terem sido contraídas. Isso mostra que não basta compreender apenas o mecanismo de funcionamento das doenças em si. Muitas vezes faz-se necessário considerar a doença do ponto de vista quantitativo, a fim de decidir sobre vacinações ou outras medidas imprescindíveis para a contenção da epidemia. Tudo isso justifica o uso de modelos matemáticos em epidemiologia. Nesta palestra, vamos fazer um breve histórico desses modelos e mostrar como o uso de ferramentas da teoria qualitativa das equações diferenciais ordinárias podem contribuir no estudo deste tema.

CONECTE-SE COM A GENTE
 

© 2018 Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação