elas Notícias
Data da publicação: 08/03/2017

No Dia Internacional da Mulher, Instituto inaugura exposição destacando o perfil de oito pesquisadoras brasileiras que atuam na área da matemática

 
Cada peça traz uma personalidade. Em cada personalidade, está um pouco da história da matemática no Brasil. Encorajar as mulheres interessadas em atuar nesse campo de pesquisa é o objetivo da exposição Elas: expressões de matemáticas brasileiras. Inaugurada nesta quarta-feira, 8 de março, Dia Internacional da Mulher, a exposição é gratuita e fica em cartaz até dia 31 deste mês na biblioteca Achille Bassi do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos.
 
“Esperamos que, em pouco tempo, atitudes como as das mulheres que fazem parte dessa exposição sirvam para promover oportunidades e tratamento iguais para as mulheres na ciência”, diz Thaís Jordão, professora do ICMC e curadora da exposição. Entre os perfis apresentados nos painéis estão os de três ganhadoras do prêmio Para Mulheres na Ciência: Adriana Neumann, professora da Universidade Federal do Rio Grande do Sul; Cecília Salgado, professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ); e Carolina de Araújo, professora do Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (IMPA).
 
 
 
 Carolina de Araújo, a única mulher entre os professores do IMPA, vê a matemática como uma arte
 

Completam a exposição peças com os relatos das professoras Maria José Pacífico e Walcy Santos, ambas da UFRJ; Keti Tenenblat, da Universidade de Brasilia; Ketty de Rezende, da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP); e Maria Aparecida Ruas, do ICMC. Aposentada, Maria Aparecida é professora sênior no Instituto, onde começou a dar aulas em 1981. Ela foi a primeira mulher a chefiar o Departamento de Matemática do ICMC.

 Na opinião de Maria Aparecida, a presença das mulheres na matemática ainda é pequena e seria interessante pensarmos de que maneira podemos aumentar a inserção feminina na área. “Muitas mulheres possuem aptidão em matemática e acabam não seguindo na área por diferentes motivos. Em qualquer segmento da sociedade, seja na política, na ciência ou em empresas, se há equilíbrio de gênero, isso reflete melhor o que acontece na sociedade. Além disso, o equilíbrio traria uma maior diversidade de pensamentos”, analisa a professora (leia a entrevista completa).
 
Cada peça da exposição tem como pano de fundo uma lista com os nomes de 500 matemáticas brasileiras. “Fizemos uma busca por currículos de profissionais de matemática cadastrados na Plataforma Lattes, a qual gerou um total de 5.920 nomes. Desses, 500 eram nomes de mulheres”, revela Thaís.
 
Segundo a curadora, o idealizador da iniciativa foi o professor Ali Tahzibi, do ICMC. Em visita ao Centre International de Rencontres Mathématiques (CIRM), localizado em Marseille, na França, ele viu a exposição Women of Mathematics throughout Europe. Inspirado nessa mostra, Tahzibi teve a ideia de fazer um projeto similar no Brasil e apresentou a proposta à professora Thaís. Coube a ela fazer o convite para que algumas matemáticas brasileiras compartilhassem seus perfis na exposição, que tem o apoio da Comissão de Cultura e Extensão Universitária do Instituto.
 
 
 

“Apenas cerca de 10% da comunidade matemática brasileira é formada por mulheres.
Mudar este panorama é um dos nossos desafios”, diz a professora Maria Aparecida Ruas

 

 

Texto: Denise Casatti – Assessoria de Comunicação do ICMC/USP

 

Elas: expressões de matemáticas brasileiras
Site:
elasmatematicas.icmc.usp.br
Local: Piso térreo da Biblioteca Achille Bassi (Av. Trabalhador São-carlense, 400, no campus I da USP, no Centro de São Carlos)
Quando: até 31 de março
Horário: segunda a sexta-feira, das 8h às 21h30, e aos sábados, das 9h às 12h (exceto feriados).
Mais informações: Comissão de Cultura e Extensão Universitária do ICMC – Telefone: (16) 3373.9146
E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

CONECTE-SE COM A GENTE
 

© 2017 Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação