default Notícias
Data da publicação: 07/06/2011

A 2011 IEEE International Conference on Robotics and Automation (ICRA 2011), realizada de 9 a 13 de maio, em Shanghai, na China, contou a presença do Prof. Dr. Fernando Santos Osório, docente do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP em São Carlos e integrante do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Sistemas Embarcados Críticos (INCT-SEC).
Para Osório, a conferência é a maior na área devido a sua relevância e quantidade de importantes pesquisadores e empresas presentes. A parte científica contou com a apresentação de inúmeros artigos, uma vez que 15 sessões eram apresentadas em paralelo, cada uma delas com cinco trabalhos. “Foi uma experiência excelente, a qualidade da conferência é espetacular, nos corredores você encontrava autores internacionais consagrados de livros de robótica usados em disciplinas dos cursos do ICMC, como Oussama Khatib, Gregory Dudek, Gary Bradski, entre muitos outros”.
Além disso, foi realizada uma Feira de Robótica, com robôs humanóides, de pequeno porte, os usados para segurança e vigilância e até robôs de grande porte com o tamanho de uma pessoa. “Fizeram inclusive a parada robótica, desfile de robôs no meio da conferência, o que foi fantástico também pelo momento: a robótica evoluiu a um ponto que atualmente isso se torna possível, até pouco tempo atrás era uma pesquisa de laboratório e hoje virou uma aplicação comercial amplamente difundida”, ressalta Osório.
Pelo contexto e interesse chinês, também tiveram destaque os robôs autônomos direcionados à exploração espacial e os voltados à automatização, que podem ser alternativa ao trabalho manual humano, prática ainda bastante difundida na China.
A participação de grandes empresas do setor foi marcante e o professor destacou a presença de representantes das que fabricam braços robóticos industriais e empresas de segurança, como as que comercializam robôs para desarme de bombas, que foram usados, por exemplo, no Iraque.

VANT Tiriba
No evento, Osório apresentou o artigo Tiriba – A New Approach of UAV based on Model Driven Development and Multiprocessors, escrito em co-autoria com os professores doutores Onofre Trindade Júnior, Denis Wolf, Kalinka Castelo Branco, e os pesquisadores Jorge Pelizzoni e Luciano Neris.
O material, que fez parte da sessão direcionada à área industrial, descreve o Tiriba, veículo aéreo não-tripulado que é um dos primeiros produtos do INCT-SEC, feito em parceria com a AGX Tecnologia, o Departamento de Engenharia Aeronáutica da Escola de Engenharia de São Carlos (EESC-USP), a Aeroálcool Tecnologia e o Laboratório de Sistemas Embarcados Críticos (LSEC).
O Tiriba é uma aeronave elétrica operada por um sistema autônomo de navegação e controle - com piloto automático totalmente brasileiro - que pode contar com câmeras fotográficas de alta definição, sensores, câmeras termais e de vídeo convencionais. Suas principais aplicações são na área de defesa civil e monitoramento ambiental e agrícola.
O artigo sobre o Tiriba foi apresentado na mesma sessão do fabricante Kuka Robotics de robôs manipuladores usados em fábricas da General Motors (GM), Ford, Porsche, BMW e outras empresas automobilísticas, e de um projeto da NASA, Agência Espacial Americana, que está desenvolvendo um robô para ser acoplado a um asteróide ou cometa. “Essa experiência foi muito importante para que o INCT-SEC tivesse uma visibilidade internacional, ou seja, estamos juntos aos principais atores nesta área e com o que está acontecendo no estado-da-arte na área de robótica em termos mundiais. Você tem que estar presente para ser visto, conhecido”.
Segundo Osório, “nosso trabalho também chamou atenção pelo fato de ser, desde o início, uma tecnologia nacional, não dependemos mais de tecnologia estrangeira para produzir os nossos VANTs, o que é bastante importante para mostrar competência na área”.

Desafios e oportunidades
Para o professor, está acontecendo uma revolução internacional enorme na área em termos de aplicações, investimentos e comercialização de produtos, em proporçõe
s ainda diferentes da nossa realidade nacional. "O que a gente sempre ressalta é que o Brasil não pode perder essa oportunidade de inserção no mercado internacional da robótica industrial e dos robôs inteligentes. Devemos nos unir para caminhar juntos, trocar conhecimentos, e para isso é necessário ampliar os investimentos em robótica e investir ainda mais na formação de redes de competência na área”.
“Para alcançar esta meta, é de grande importância a criação de iniciativas como a do INCT-SEC, que tem a proposta de aumentar a sinergia entre grupos, tanto de universidades quanto das empresas participantes, para poder fomentar o desenvolvimento na área”. O que, segundo o professor, já tem obtido bons resultados com o Tiriba, e o mesmo deve ser buscado com as pesquisas em andamento sobre os veículos
autônomos terrestres, que já gera interesse de grupos do exterior, apesar de ainda não ser um produto comercial fechado.
A criação do Núcleo de Apoio à Pesquisa (NAP) - Centro de Robótica de São Carlos (CRob-SC / USP) também foi destacada durante o evento e já teve empresas que entraram em contato para conhecer melhor a iniciativa. O Centro será importante por "agregar cada vez mais competências, pesquisar, desenvolver, difundir, treinar e ensinar, a sociedade a entender o papel da robótica no futuro para que a área possa se desenvolver e se difundir ainda mais no Brasil", explica Osório.
Mais informações: Site: www.icra2011.org E-mail: This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Assessoria de Comunicação do INCT-SEC

CONECT WITH US
 

© 2022 Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação